Header Ads

Chery Face: problemas conhecidos, soluções nem tanto

#AutoSegurança


Iniciando a sessão Auto Segurança, que tratará a respeito de problemas com automóveis, por vícios de fabricação, apresentamos o caso do Aguinaldo Bezerra, que adquiriu um Chery Face com defeitos de fabricação não resolvidos em garantia, e tem ganho notoriedade a cada dia, após a criação de um grupo no Facebook, denominado "Chery Nunca Mais", que tem crescido sem qualquer divulgação, com uma série de proprietários frustrados com o despreparo de grande parte da rede de atendimento, com omissão da montadora.


O relato nas palavras de Aguinaldo

Guinchamento, após quebra da embreagem.
"Desde que comprei meu Chery Face há mais de dois anos (retirado da concessionária em 07/02/2012), a minha vida se tornou um grande pesadelo. Além dos inúmeros problemas recorrentes com o veículo, ainda conto com o desprezo da concessionária local (Redenção Chery, em Natal/RN), da Chery Brasil e da Chery International.

O carro tem problemas em praticamente todos os setores. Do acabamento interno à suspensão, surgem novos problemas à cada dia e problemas antigos ressurgem. A concessionária local não tem competência ou boa vontade para resolver os problemas do carro, a Chery Brasil não atua, apesar da quantidade de reclamações que fiz e a Chery International me ignora, apesar dos meus apelos feitos em inglês em um canal que eles disponibilizam.


Problemas em comum

Pneus dianteiros na lona após 4.000 km.

Como já é notório, o Chery Face tem um vasto histórico de problemas comuns, que acometem grande parte dos proprietários. Abaixo, citarei apenas os problemas "clássicos" do modelo, :que acometem o meu carro:

- Suspensão que dá socos;
- Caixa de direção barulhenta;
- Estalos fortes no esterçamento do volante;
- Painel, vidros, todo acabamento plástico tornam o carro uma escola de samba;
- Freio de estacionamento que se desregula à todo momento e não segura o carro;
- Ruído de "correia solta" vindo da correia do alternador;
- Problema crônico no sistema de arrefecimento;
- Tanque de combustível que não enche;
- Acendimento de indicador de problemas no freio ABS;
- Ar-condicionado que deixa de esfriar;
- Sensores e luz de ré que não acionam;
- O carro só destrava remotamente quando quer;
- Embreagem áspera e ruidosa, e que quebra com o carro em movimento;
- Câmbio endurecido; marchas que só "entram" com dificuldade;
Luz indicando problemas no ABS.

- Problema de fábrica na convergência das rodas;
- Diversas falhas no acabamento;

Para piorar a situação, ainda vejo meu veículo sofrer com procedimentos questionáveis realizados pela concessionária,  cada tentativa de reparo, aumentando ainda mais a lista de problemas a cada visita, que até o momento, registra mais de 30 itens entre problemas resolvidos, intermitentes e não resolvidos, sendo que o carro possui apenas 14.000 Km rodados.

Em dois anos de relacionamento com a marca, meu Chery Face contabilizou 18 visitas à concessionária.


Triste constatação

Quebra do parafuso da roda, no momento da
troca de um pneu furado, durante esforço
inicial com a chave de boca.
Desde os primeiros dias com o carro, notei que tinha literalmente entrado numa "fria". Daí em diante, comecei a frequentar a concessionária numa base quase que mensal. E com isto, vieram as reclamações. Utilizei todos os canais disponíveis, desde conversas na concessionária (com atendentes, mecânicos, gerentes) e contato no SAC da Chery Brasil, tanto por telefone, quanto por e-mail. Como as coisas não estavam fluindo, apelei para ações mais enérgicas para ter meus direitos como consumidor, respeitados.

Em resumo, excluindo telefonemas, e-mails e idas à concessionária, tomei as seguintes providências:

  • 26/03/2012: Primeira Notificação Extrajudicial, entregue em mãos da responsável pelo pós-vendas, que se negou a protocolar o documento.
  • 30/03/2012: Primeira reclamação realizada no site Reclame Aqui
  • 30/04/2012: Segunda Notificação Extrajudicial, enviada pelos Correios com AR, mas a funcionária que recebeu o documento não preencheu corretamente o AR.
  • 12/07/2012: Notificação Extrajudicial, enviada pelos Correios com AR, mas, novamente, a funcionária que recebeu o documento não preencheu corretamente o AR. Desisti de tentar amigavelmente por aqui. 
  • Agosto/2012: Processo Judicial, ajuizado no TJ-RN. O processo se "arrastou" por 18 meses, até que a primeira audiência foi marcada para março de 2014. 
  • 06/10/2013: Publicação do vídeo "Um engodo chamado Chery Face" no YouTube. 
  • 05/11/2013: Criação do grupo Chery Nunca Mais! no Facebook.
  • 14/11/2013: Criação do blog Chery Nunca Mais!.
  • 16/11/2013: Segunda reclamação no Reclame Aqui
    Espuma do tampo do porta-malas foi utilizada para
    calçar o macaco, fonte de ruídos no porta malas.

  • Dezembro/2013: Reclamação formal diretamente com a Chery International. Pela primeira vez, responderam aos meus apelos e me fizeram preencher um formulário. Mas até o momento, sem qualquer retorno.
  • 13/03/2014: Audiência preliminar conciliatória. Infelizmente, como esperado, ambas as rés não apresentaram qualquer proposta conciliatória e o juiz procedeu a convocação de uma perícia para análise dos problemas do carro, para detectar se são oriundos da fabricação. 

Até hoje, não recebi qualquer retorno da Redenção Chery (Natal/RN), da Chery Brasil ou da Chery International sobre estas minhas notificações, reclamações e ações. Sequer um telefonema ou e-mail. Nada, silêncio absoluto. É como se eu estivesse tentando contatar empresas que faliram ou que encerraram suas operações.

Infelizmente, meu caso não é isolado. No supramencionado grupo no Facebook, conheci vários proprietários com problemas semelhantes aos meus. Muitos, inclusive, que já acionaram o judiciário."



O posicionamento da montadora

A equipe do portal MAXX tentou entrar em contato com a Chery Brasil, por meio de seu SAC, no telefone 0800 77 243 79, dentro do horário comercial, mas não teve sucesso. Não foi encontrado no site da Chery Brasil, algum contato oficial entre a imprensa e a montadora, mas sim a opção de contato com a assessoria terceirizada, esta, no momento do contato, já fora do expediente.

Encaminhamos um e-mail para a marca e sua assessoria de imprensa, deixando este espaço aberto para a manifestação da montadora.

Atualizaremos a matéria, assim que houver um posicionamento oficial.


Um comentário: